Link112
Banner 728x90-Biblia comentada

Estudo Bíblico de Êxodo 29

Estudo Bíblico de Êxodo 29

Por Portal Sermões em 02/06/2024 às 22:26:13

Êxodo 29 descreve a cerimônia de consagração dos sacerdotes no contexto do Antigo Testamento. O estudo bĂ­blico de Êxodo 29 é importante, pois além de este capĂ­tulo descrever os padrões para a santidade e as funções sacerdotais na Antiga Aliança, também serve como uma representação da mediação e do sacrifĂ­cio que encontram seu cumprimento final no contexto da Nova Aliança em Cristo Jesus.

Para entendermos corretamente o significado de Êxodo 29, precisamos considerar o contexto geral do livro de Êxodo. É preciso saber que Êxodo não é apenas um livro sobre libertação, mas também sobre a formação de uma nação sob Deus. Após a saĂ­da dramĂĄtica do Egito, Israel precisava de uma estrutura para manter sua identidade e santidade. Então, no Monte Sinai, Deus propôs uma aliança com os filhos de Israel. Nesse sentido, a consagração dos sacerdotes seria parte fundamental dessa aliança, pois eles mediariam entre Deus e o povo.

O esboço de Êxodo 29 pode ser organizado da seguinte forma:

  • A preparação dos sacerdotes (Êxodo 29:1-9).
  • O ritual de sacrifĂ­cios na ordenação dos sacerdotes (Êxodo 29:10-37).
  • As ofertas diĂĄrias e a presença de Deus (Êxodo 29:38-46).

A preparação dos sacerdotes (Êxodo 29:1-9)

Êxodo 29 começa com os passos iniciais de Arão e seus filhos no processo de sua consagração. No texto bĂ­blico, esta preparação é carregada de simbolismo, refletindo não apenas a santidade exigida para o serviço, mas também a responsabilidade espiritual que os sacerdotes assumiriam (Êxodo 29:1-3).

Deus ordenou que Arão e seus filhos se lavassem à entrada da Tenda do Encontro (Êxodo 29:4). Isto indicava a remoção da contaminação ritual, e a purificação de qualquer impureza. Além disso, a escolha de Arão e seus filhos como sacerdotes foi uma iniciativa de Deus, destacando a graça e a soberania divinas na seleção de quem serve em Sua presença.

A escolha divina dos sacerdotes enfatizava que o serviço sacerdotal não era um direito humano, mas um chamado sagrado. Ao serem escolhidos por Deus, os sacerdotes foram investidos de autoridade e legitimidade. Esta escolha também estabeleceu um precedente para a ordem sacerdotal, que se tornou fundamental na manutenção da adoração e das leis em Israel.

Em seguida, Arão e seus filhos foram vestidos com as vestes especiais confeccionadas para o sacerdócio sob a orientação divina (Êxodo 29:5,6). As vestes sacerdotais foram descritas em Êxodo 28 e incluĂ­am o éfode, o peitoral, a tĂșnica tecida, a mitra e o cinto. Cada peça do vestuĂĄrio do sumo sacerdote tinha um significado espiritual e funcional. O peitoral do julgamento, por exemplo, carregava as pedras das tribos de Israel, simbolizando a representação do povo diante de Deus. A mitra e a placa sagrada sobre a testa declaravam a santidade ao Senhor, lembrando os sacerdotes de sua constante necessidade de pureza.

Arão e seus filhos também foram ungidos com o óleo da unção, um ato que simbolizava a consagração, a capacitação e a autorização do EspĂ­rito Santo para o exercĂ­cio do serviço divino (Êxodo 29:7-9). Na teologia bĂ­blica do Antigo Testamento, o óleo frequentemente aparece como um sĂ­mbolo da presença e do poder do EspĂ­rito de Deus na capacitação de alguém para o serviço sagrado.

O ritual de sacrifĂ­cios na ordenação dos sacerdotes (Êxodo 29:10-37)

A segunda seção de Êxodo 29 registra um primeiro sacrifĂ­cio envolvendo um novilho, usado para a purificação dos pecados. Arão e seus filhos tiveram de impor as mãos sobre a cabeça do novilho, simbolizando a transferĂȘncia da culpa deles para o animal (Êxodo 29:10-14; cf. LevĂ­tico 16:21). Este ato de imposição de mãos não foi meramente simbólico, mas um reconhecimento da necessidade humana de expiação.

O sangue do novilho foi, então, colocado nas pontas e ao redor do altar, significando a santificação do espaço sagrado (Êxodo 29:12). O sangue, na teologia bĂ­blica, representa vida e, portanto, era um elemento central na purificação e na reconciliação com Deus nos tempos do Antigo Testamento.

Em seguida, Êxodo 29 registra o segundo elemento do ritual, envolvendo os dois cordeiros citados no versĂ­culo 1. O primeiro cordeiro foi sacrificado como uma oferta queimada, simbolizando total dedicação a Deus — um gesto de entrega e obediĂȘncia completa (Êxodo 29:15-18).

O segundo cordeiro, conhecido como "cordeiro da ordenação", também configurou um elemento crucial na cerimônia de consagração dos primeiros sacerdotes de Israel. O texto bĂ­blico relata que após Arão e seus filhos terem feito a imposição das mãos sobre a cabeça do cordeiro, ele foi sacrificado. Então, Moisés colocou um pouco do sangue do cordeiro sobre partes do corpo dos sacerdotes (Êxodo 29:20).

O restante do sangue do cordeiro sacrificado foi derramado ao redor do altar, e em seguida Moisés pegou uma porção desse sangue junto de um pouco do óleo da unção, e aspergiu sobre os sacerdotes e suas vestes (Êxodo 29:21). Depois, os sacerdotes ofereceram ao Senhor partes do cordeiro, juntamente com uma porção de pães asmos, bolo assado com azeite e pão fino (Êxodo 29:23-25).

Na sequĂȘncia de Êxodo 29, o texto bĂ­blico descreve os procedimentos finais no processo de consagração dos sacerdotes. Ficou estabelecido que uma porção das ofertas deveria ser doada aos sacerdotes, ou seja, foi definido um meio pelo qual os sacerdotes seriam providos, utilizando porções das ofertas trazidas ao Senhor (Êxodo 29:26-28).

As vestes sagradas de Arão, utilizadas durante a consagração, teriam de ser passadas para seus descendentes que o sucederiam no sacerdócio. Essas vestes deveriam ser usadas por sete dias pelo próximo sacerdote durante seu perĂ­odo de consagração, ligando as gerações de sacerdotes numa contĂ­nua tradição de santidade e serviço (Êxodo 29:29,30).

O Senhor também ordenou que a carne do carneiro da consagração tinha de ser cozida em um lugar santo e consumida pelos sacerdotes. Isto deveria acontecer à porta da Tenda da Congregação. Este ato reiterava que os sacerdotes partilhariam diretamente das coisas consagradas a Deus, sustentando-se do serviço ao divino (Êxodo 29:31-34).

Arão e seus filhos deveriam permanecer à porta da Tenda da Congregação por sete dias, completando o perĂ­odo de sua consagração. O texto bĂ­blico não esclarece de forma especĂ­fica o que aconteceria em cada um desses dias. Alguns estudiosos acreditam que todo o processo descrito de ordenação durava esse perĂ­odo completo, enquanto outros sugerem que talvez os rituais fossem repetidos durante os sete dias. Seja como for, durante esse perĂ­odo o altar também era purificado e santificado, assegurando que fosse um local digno para os encontros entre Deus e seu povo (Êxodo 29:35-37).

As ofertas diĂĄrias e a presença de Deus (Êxodo 29:38-46)

A Ășltima seção de Êxodo 29 registra instruções detalhadas sobre as ofertas diĂĄrias que deveriam ser feitas no altar. Estas ofertas consistiam em sacrifĂ­cios contĂ­nuos que foram estabelecidos para ocorrerem diariamente, manhã e tarde, facilitando a comunhão por meio da expiação do pecado, e simbolizando a constante dependĂȘncia de Israel em relação à provisão e graça de Deus.

Duas vezes ao dia, um cordeiro de um ano deveria ser oferecido no altar, uma vez pela manhã e outra ao entardecer. Cada oferta de cordeiro deveria ser acompanhada por uma oferta de cereais feita de flor de farinha misturada com azeite puro, além de uma oferta de bebida de vinho (Êxodo 29:38-41).

Esses sacrifĂ­cios eram chamados de "holocausto contĂ­nuo" e simbolizavam a necessidade constante da expiação do pecado, purificação do povo, entrega incessante e adoração ao Senhor.

Em seguida, o texto bĂ­blico explica que aqueles holocaustos tinham de ser feitos regularmente à entrada da Tenda do Encontro, de geração em geração. O Senhor também prometeu sua presença contĂ­nua ao se encontrar com os filhos de Israel naquele mesmo lugar, que consequentemente se tornaria um espaço sagrado pela presença divina (Êxodo 29:42,43).

Portanto, Deus garantiu consagrar o TabernĂĄculo do Encontro e o altar, juntamente com Arão e seus filhos, para que servissem como sacerdotes. O Senhor também relembrou os filhos de Israel de que os libertou do Egito com o propósito de habitar entre eles (Êxodo 29:44-46).

Observação teológica de Êxodo 29

Os rituais da ordenação dos sacerdotes descritos em Êxodo 29, destacavam a necessidade de substituição e expiação dos pecados nos planos divinos. Cada sacrifĂ­cio apontava para a necessidade de um intermediĂĄrio entre Deus e o homem e, em Ășltima anĂĄlise, prefigurava o sacrifĂ­cio supremo de Cristo na cruz.

Em Hebreus 9, somos lembrados de que Cristo é o Sumo Sacerdote que não apenas ofereceu sacrifĂ­cios, mas se ofereceu como o sacrifĂ­cio perfeito, definitivo e suficiente para a purificação dos nossos pecados. Portanto, o registro bĂ­blico desses rituais levĂ­ticos nos ajuda a compreender melhor o paralelo entre a função dos sacrifĂ­cios da Antiga Aliança e a obra consumada de Cristo.

Fonte:https://estiloadoracao.com

Comunicar erro

ComentĂĄrios